top of page
Group-187.jpg

Blog

Confira nossas novidades, notícias do meio e muito mais

  • Foto do escritorRafael Oliveira

A importância do As-Is no início do trabalho com a Buus.


Organizar o transporte fretado de seu negócio não é tarefa fácil e aí entra a expertise da Buus para auxiliar em todos os pontos do processo. Por falar em pontos importantes, nesse artigo vamos destacar um que é o sonho de todo gestor: trata-se do conceito de As-Is ou “Como é” e, a partir de agora, vamos saber a importância do As-Is no início do trabalho com a Buus, e quão importante é o processo que integra a construção do modelo de gestão de transporte oferecido pela Buus. Não perca nossas publicações semanais sobre transporte de seus colaboradores.

O que é o As-Is da Buus?


Antes de começarmos a operação, é importante ter uma visão mais próxima possível da qualidade do cenário atual da empresa. Para isso, criamos o modelo As-Is, uma ferramenta que analisa a gestão de transporte da instituição antes da intervenção especializada da Buus. Nossa metodologia facilita a compreensão dos pontos positivos e negativos da operação atual e indica os caminhos a serem seguidos em busca da alternativa mais otimizada.

Para desenharmos tal situação é necessário responder a algumas perguntas, como: Quantas linhas atendem a operação? Como são as rotas? Quantos e quais colaboradores são contemplados pelo modelo atual? Como é o modelo de custo? Por Km rodados ou número de veiculos? entre outras. A partir destes dados a equipe da Buus consegue criar um modelo As-Is.


Quais as métricas são visíveis e são alteradas a partir do As-Is?


O As-Is deixa explícito o panorama dos transportes fretados nas empresas e, geralmente, evidencia a defasagem, ineficácia e até a perda de relevância provocada por anos de operação com a mesma formatação. Devido a dificuldade de alterar manualmente os muitos aspectos envolvidos na operação, a manutenção de formatos obsoletos é mais comum do que se imagina. O As-Is da Buus apresenta por meio gráfico e intuitivo que são o ponto de partida para mudanças como:

  1. Diminuição da frota devido à roteirização mais inteligente;

  2. Redução da distância de caminhada do colaborador e do tempo em trânsito;

  3. Operações mais dinâmicas, facilmente adaptáveis à alterações de usuários.


Diminuição da frota devido à roteirização mais inteligente


Ter veículos em excesso na operação de transportes de sua empresa está intimamente ligado a custos maiores do que os necessários. Otimizar a roteirização significa que a operação caminhará de forma ajustada, bem dimensionada e sem lastros. Obviamente apenas reduzir o número de veículos não é o suficiente para um bom serviço, havendo também a necessidade de respeitar aspectos da política de transporte, como: distância de caminhada, tempo no deslocamento, disponibilidade de assentos – e distanciamento social quando necessário – entre outros.

O As-Is funciona, nesse ponto, como um comparativo da operação vigente com a proposta pela Buus. É uma forma muito eficiente de analisar de forma comparativa o que deve ou não mudar.


Redução da distância de caminhada do colaborador e do tempo em trânsito


Como citado anteriormente, esses parâmetros são fundamentais para que o sucesso da operação não esbarre na insatisfação dos funcionários. É importante entender que a roteirização ótima é a que respeita tanto a saúde financeira da empresa quanto o bem estar do colaborador.

Analisar as diferenças entre os modelos de gestão de transporte pode ser o diferencial na hora de humanizar a forma como se deslocam os colaboradores. Sem dúvidas, uma viagem sem queixas, é capaz de contribuir para o melhor rendimento e resultados dos seus funcionários.


Operações mais dinâmicas, facilmente adaptáveis à alterações de usuários.


Com o As-Is, é possível perceber claramente a defasagem de uma operação sem o auxílio da Buus, principalmente nesse cenário. Trabalhadores que se dividem em turno ou em modelo híbrido de trabalho nem sempre têm horários fixos ou previsíveis. Em operações não otimizadas essa diferença entre a disponibilidade do serviço e quem realmente vai trabalhar fica mais evidente e imprevisível. E se tudo não for feito de forma digital é ainda pior!

Como a operação da Buus permite – e incentiva – o dinamismo de informações, é possível certificar que apenas os colaboradores elegíveis serão transportados, sem superdimensionamento da operação.


Na prática, como é a montagem do As-Is?


No entanto, reunir todos os dados da operação anterior de transporte das empresas nem sempre é a tarefa mais fácil.


O As-Is é um processo colaborativo que envolve a equipe multidisciplinar da Buus e o responsável pela mobilidade da instituição. Denominamos esse profissional de Gestor de Mobilidade e pode ser um membro integrante das áreas de RH ou Facilities.


Na prática é possível destacar três maneiras para se desenhar o As-Is, são elas:


  1. A empresa disponibiliza suas planilhas com anotações de passageiros, linhas e paradas e a Buus processa esses dados. O resultado é importado para o nosso sistema e, a partir daí, a análise técnica apresenta e estabelece KPIs, como custo, distância de caminhada dos passageiros, tempo em deslocamento entre outros.

  2. A equipe da Buus recebe da empresa os arquivos no formato .kml, que são arquivos de registro de deslocamento aferido por GPS, e então faz o processamento. Esse método de registro oferece resultados mais exatos e, consequentemente, facilita a visualização dos pontos críticos que deverão ser atacados na operação proposta pela Buus. Apesar disso, nem todas as instituições são capazes de disponibilizar esse arquivo e eles também não apresentam o quão defasadas estão as rotas, que é um dos pontos mais importantes a ser analisado.

  3. Existem casos onde não há registro da operação, geralmente em empresas que possuem sistema de alternância de turno de trabalho ou de alta rotatividade. Para esses casos, a Buus disponibiliza o aplicativo para registro de algumas rotas e, a partir daí, analisa as paradas, distância e acessos de colaboradores. O resultado desse uso apresenta um esboço da operação e quais os caminhos devemos seguir para otimizá-la.

O As-Is é uma ferramenta decisiva.


Agora que você já sabe a importância do As-Is no início do trabalho com a Buus, imagine como a alta gerência de seu negócio, abastecida de informações relevantes, pode ser ainda mais assertiva na escolha do caminho a seguir em relação à operação do transporte. Entre em contato conosco para conhecer nossa plataforma e veja numérica e graficamente qual a rota a seguir e não erre, pois a Buus tem a expertise para auxiliar sua empresa a transportar com mais sorrisos.

4 visualizações0 comentário

Comments


Img-form-01.webp
Quantidade de Veículos

Todos os artigos

bottom of page